ARQUIVO
Notícias
 

Por uma cultura com futuro, por um futuro com cultura
há 44 semanas
 
Quando em Novembro de 2021 se traçou o caminho para as eleições que se avizinham, e perante o descontentamento gerado por um orçamento que se adivinhava vir a ficar muito aquém daquilo que os trabalhadores e o sector da Cultura precisam, o CENA-STE entendeu desde logo que a existência de eleições deve ser uma oportunidade para defender um sério compromisso com a Cultura, por parte das forças políticas representadas no parlamento.
Acreditamos que apenas políticas orientadas para a solidariedade social e o bem público podem ser salvaguarda dos direitos consignados na nossa Constituição e vertidos na carta de objectivos da UNESCO.
Continuamos a lutar por um verdadeiro Serviço Público de Cultura que garanta aos cidadãos a prática e a fruição dos bens culturais, e aos trabalhadores do sector condições de trabalho dignas, reguladas e estáveis.
Apesar da preocupante ausência do tema “Cultura” nos programas eleitorais de alguns partidos, este é um momento importante para voltar a exigir medidas que combatam a precariedade e que melhorem as condições de vida de todos os trabalhadores.
Exigimos o aumento substancial do financiamento do Ministério da Cultura, assegurando as condições para uma verdadeira política cultural, permitindo uma efectiva transformação estrutural.
Exigimos que o Estatuto do Profissional da Cultura seja uma ferramenta de combate à precariedade, que consagre direitos, ao invés de institucionalizar a precariedade entre os trabalhadores da Cultura.
Exigimos garantir nas empresas públicas de Cultura e nas fundações apoiadas pelo Estado a progressão das carreiras, o reforço dos corpos artísticos e técnicos, a melhoria de condições de trabalho e o combate à precariedade.
Exigimos um mapeamento adequado do sector da Cultura que reflicta a realidade laboral e permita desenvolver medidas transformadoras, em articulação com uma verdadeira política cultural.
Exigimos o aumento do Salário Mínimo Nacional e dos salários de uma forma geral. O aumento geral dos salários tem reflexos directos em todos os sectores, propiciando o acesso à fruição e criação cultural e a melhoria das condições de vida.
Exigimos assegurar a progressão nas carreiras, defender a contratação colectiva, contribuindo para garantir o futuro da Segurança Social e o acesso dos trabalhadores às prestações sociais e reformas justas.
Exigimos:
Um Estatuto que defenda verdadeiramente os direitos dos trabalhadores da Cultura;
Um efectivo Mapeamento do Sector da Cultura;
Aumento geral dos salários e do Salário Mínimo Nacional;
A erradicação da precariedade;
O fim das desigualdades e das assimetrias regionais;
A democratização do acesso à fruição e criação cultural;
A obrigatoriedade contratual em todos os projectos com subvenções públicas;
No Orçamento de Estado o valor mínimo de 1% para a Cultura.
 

#cenaste #cena_ste